Sexta, 20 de Maio de 2022 16:34
75998557038
26°

Poucas nuvens

Alagoinhas - BA

Dólar com.

R$ 4,87

Euro

R$ 5,13

Peso Arg.

R$ 0,04

Alagoinhas GERAL

Em São Paulo, Joseildo visita Padre Júlio Lancellotti para tratar de projeto contra intervenções hostis

O parlamentar participou da entrega de alimentos

07/05/2022 18h44
Por: Redação Fonte: ASCOM
Foto: ASCOM
Foto: ASCOM

Batizado de Padre Júlio Lancellotti, o projeto de lei que proíbe o emprego de técnicas de construção hostis às pessoas em situação de rua está tramitando na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Federal. Para discutir o andamento do PL e conhecer o trabalho que deu origem à proposição, os deputados Joseildo Ramos (PT/BA), relator da proposta, Zé Ricardo (PT/AM) e Natália Bonavides (PT/RN) foram até São Paulo nesta sexta-feira (06) para encontrar com o presbítero que dá nome ao projeto.

No Centro Comunitário São Martinho de Lima, os parlamentares participaram da entrega de alimentos e puderam conferir de perto a atividade desenvolvida pela Paróquia São Miguel Arcanjo. “Nós estamos aqui para conhecer o trabalho do padre que repercute não só no Brasil, mas no mundo. A população de rua precisa ser respeitada e políticas públicas têm que ser geradas para dar satisfação a todos os brasileiros”, afirmou Joseildo.

De acordo com Bonavides, em sua cidade de origem, capital do Rio Grande do Norte, a prefeitura tem capitaneado ações de despejo inclusive contra pessoas que estão em situação de rua. “Estamos com um problema enorme em Natal e a luta do padre é uma inspiração para todos nós”, disse a deputada, que reforçou a necessidade de aprovação da matéria com urgência.

Padre Júlio agradeceu a visita da bancada federal e aproveitou para pedir novamente o apoio dos deputados e deputadas ao projeto que é contrário às intervenções hostis nas cidades, como bancos de praça com divisórias, pedras embaixo de viadutos e estacas de ferro na frente de lojas. “Agradeço a força e a coragem desses nossos irmãos que lutam por uma vida mais humanizada, onde todos sejam respeitados. Precisamos que as cidades saiam da hostilidade para a hospitalidade”, afirmou o presbítero.