Sábado, 29 de Janeiro de 2022 07:53
75998557038
°

-

Dólar com.

R$ 5,38

Euro

R$ 6,

Peso Arg.

R$ 0,05

Brasil VACINA

Queiroga prevê iniciar vacinação de crianças na 1ª quinzena de janeiro

Declaração do ministro da Saúde foi dada à emissora de TV após entrevista coletiva

01/01/2022 13h20
Por: Redação Fonte: METRO1
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, revelou nesta sexta-feira, 31, que o governo federal pretende iniciar a vacinação de crianças contra a Covid-19 a partir da primeira quinzena de janeiro. A informação foi dada após em entrevista coletiva, já fora das câmeras, ao canal Globonews.

O Ministério já havia informado que vacinação de crianças entre 5 e 11 anos começaria em janeiro, mas sem especificar nenhum período. A vacinação infantil com o imunizante da Pfizer foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em 16 de dezembro mas o governo federal ainda não autorizou a aplicação das doses. Atualmente, o Ministério da Saúde realiza uma consulta pública sobre o tema, que se encerra no dia 2 de janeiro. É esperado que a pasta informe mais detalhes sobre a vacinação de crianças no dia 5. 

Contrariando a comunidade científica, os padrões internacionais e até mesmo a posição da Anvisa, o governo federal tem feito críticas à vacinação infantil. O próprio Queiroga se disse a favor da necessidade de prescrição médica para que as crianças sejam imunizadas.

O presidente Jair Bolsonaro, por sua vez, chegou a dizer, durante sua última live de quinta-feira, que não entende “essa gana por vacina”.Dias antes, afirmou que não pretende levar sua filha caçula, Laura, para vacinar, e ainda solicitou a divulgação dos nomes dos integrantes da Anvisa responsáveis por aprovar a aplicação da vacina da Pfizer – que acabaram recebendo ameaças.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.