Aviso no Topo do Site
Em tempos de #coronavírus evite sair de casa, proteja seu bem maior, sua família.

Afastado do 1º escalão do Governo Joaquim Neto, pelo menos neste inicio de segundo mandato, o partido Avante, controlado em Alagoinhas pelo grupo liderado pelo ex-vereador Ozeas Menezes, ensaia a ida para a oposição. Ele acusa o prefeito de ter descumprido um acordo de campanha, onde houvera sido prometido ao partido a indicação para comando de uma secretaria, com preferencia para a secretaria de assistência social(SEMAS) que acabou indo para as mãos de Ludmila Fiscina, noiva do prefeito .

Mas ao que tudo indica, a postura do prefeito Joaquim Neto, ao invés de ser encarada como uma “traição”, pode significar, na verdade, uma reação a postura do AVANTE durante a campanha eleitoral. O Avante, segundo pessoas ouvidas pelo Alagonews, havia prometido trabalhar fortemente para a reeleição de Joaquim, inclusive, com a vinda do deputado Isidoro, maior expoente do partido no estado, para Alagoinhas para pedir votos. A situação foi confirmada hoje pela manhã por Duda dos Churros, que é filiado ao AVANTE, e disputou uma vaga para a Câmara de Vereadores nas últimas eleições.

Nos bastidores também se comenta que Ozeas teria dado mais importância ao voto de legenda, o 70, do que o pedido de voto ao candidato ao executivo pela coligação, o Joaquim Neto, cujo número correspondia o 55. Nessa situação, a prioridade de Ozeas era eleger a sua filha, Luma Menezes, desprezando a eleição para o executivo, que foi disputado voto a voto entre Joaquim e o candidato do DEM, Paulo Cezar.

Por falar em Luma Menezes, 11 dias após sua posse, ela  já enfrenta criticas de integrantes do próprio partido e de pessoas que participaram ativamente da sua eleição. Eleita com uma proposta de renovação politica, Luma tem enfrentado a ira de cabos eleitorais que se sentem desprestigiados, já que a vereadora decidiu formar seu gabinete por pessoas escolhidas através de processo seletivo.

Filiados que disputaram o cargo de vereador pelo partido e contribuíram para o alcance do coeficiente eleitoral, algo indispensável para a conquista de Luma Menezes, também se sentem esquecidos. Era esperado que o Governo Joaquim os absorvesse dentro da estrutura da prefeitura, algo que agora fica difícil diante da ida do partido para a oposição.

“Fomos úteis para correr, suar a camisa e pedir votos, mas para ajudar no gabinete não somos”, dizem os descontentes.

Acompanhe a entrevista concedida por Duda dos Churros ao programa Primeira Mão na manhã desta segunda-feira(11):

Por Caio Pimenta para o Alagonews

1 comentário

Deixe Um Comentário


Banner publicidade 728 x 90 RODAPÉ

error: Conteúdo protegido!